DIA 11 RUI VELOSO

CAMANÉ & MÁRIO LAGINHA

11 JULHO 21:00

Rui Veloso é um dos grandes compositores e intérpretes dos últimos 40 anos da música portuguesa. Considerado por muitos como o pai do rock português, a aventura começou na banda de garagem Magara Blues. Influenciado por nomes como B. B. King e Eric Clapton, Rui Veloso rapidamente começou a dar nas vistas. Em 1980 editou “Ar de Rock”, disco que inauguraria uma nova era na música portuguesa. Com letras em português assinadas por Carlos Tê e António Pinho, o disco incluía temas como “Chico Fininho”, que, ainda hoje, faz parte do imaginário de milhares de portugueses. E, de facto, os temas de Rui Veloso têm esse condão de nos acompanhar para sempre: “Não Há Estrelas No Céu”, “Sei de Uma Camponesa”, “Porto Covo”, “A Paixão (Segundo Nicolau da Viola)”, entre muitos outros. Mas a carreira de Rui Veloso não ficou apenas marcada por estes singles de sucesso, mas também pelos trabalhos que influenciaram várias gerações de músicos e melómanos. Além do já mencionado “Ar de Rock”, é impossível não falar de registos como o “Guardador de Margens” (1983), “Mingos & Os Samurais” (1990) e “Lado Lunar” (1995), entre outros. A carreira deste autêntico bluesman também se fez sempre com grandes momentos ao vivo. E um deles poderá ser vivido no dia 11 de julho, no novo Festival Jardins do Marquês – Oeiras Valley.