DIA 1 THE BEACH BOYS

tHE BEACH
BOYS

1 JULHO

PALCO PRINCIPAL | 20:30

Pode resumir-se a grande maioria dos artistas pop pelo número de êxitos que tiveram e por quantos milhões de álbuns venderam. Mas estas medidas convencionais são insuficientes quando medimos o impacto dos Beach Boys. Esta banda criou uma torrente de hit singles e vendeu dezenas de milhões de álbuns. Mas o seu maior significado está no facto de as suas canções terem mudado para sempre o panorama musical, influenciando profundamente um número incontável artistas que lhes seguiram. 

 A banda é liderada por Mike Love, que, juntamente com o membro de longa data Bruce Johnston, o diretor musical Scott Totten, Brian Eichenberger, Christian Love, Tim Bonhomme, John Cowsill, Keith Hubacher e Randy Leago, continuam o legado do icónico grupo. O escritor de canções vencedor de Grammy, Bruce Johnston, juntou-se aos Beach Boys em 1965, substituindo Glenn Campbell, que por sua vez substituiu Brian Wilson na voz e baixo, quando este deixou a estrada. O trabalho vocal altamente respeitado de Johnston com artistas lendários como Elton John e os Pink Floyd, estabeleceram-no solidamente na elite de artistas rock. 

 Liderados por Mike Love, os Beach Boys dão um número surpreendente de concertos, numa média de 150 por ano, desde grandes anfiteatros ao ar livre até centros de artes intimistas e eventos especiais em todo o mundo. 

A banda continua a criar e a atuar com a mesma imaginação ousada e estilo que marcaram a sua estreia explosiva há mais de 50 anos. Em 2013, a edição pela Capitol Records de “Sounds of Summer” (tripla platina com mais de 3 milhões de álbuns vendidos e a subir), e do seu ‘companheiro’ “the Warmth of the Sun”, marcaram o ressurgimento do interesse pelos Beach Boys que mais uma vez mexeram com o mundo. 

 Os Beach Boys encontraram a chave da juventude eterna através da sua música – fizeram cópias para todos. Para estes amigos, a praia não é apenas um lugar para o surf – é onde a vida é renovada e plena novamente. 

 Fosse esta extraordinária banda menos comprometida com a sua arte e os seus fãs, ter-se-ia retirado com honra em dezenas de momentos do seu percurso, confiante de que tinha deixado um contributo duradouro na cultura mundial. Podia ter descansado no sucesso da obra prima “Pet Sounds” em 1966… ou após o álbum conceptual de Mike Love, “Endless Summer”, ter criado uma nova geração de fãs dos Beach Boys e ter gerado uma tempestade que abalou o mundo… ou após gravar o tema de 1998 co escrito por Love, “Kokomo”, nomeado para um Globo de Ouro, vindo a tornar-se no seu single mais vendido de sempre… ou depois de ter entrado nesse mesmo ano para a Rock & Roll Hall of Fame… ou depois de ver as vendas mundiais de álbuns ultrapassarem os 100 milhões… ou depois de lhe ter sido atribuído o NARAS Lifetime Achievement Award em 2001 (juntamente com The Who, Bob Marley, Tony Bennett, Sammy Davis Jr. e Les Paul). Ainda assim, Os Beach Boys continuam a divertir-se, sem um fim à vista. 

Em 2012, os Beach Boys agendaram 74 concertos na “50th Anniversary Reunion Tour”, na qual os membros originais se reuniram e editaram “That’s Why God Made the Radio”. O álbum estreou-se no #3 do top da Billboard, a sua posição mais alta em 37 anos e um marco sem precedentes. 

Em 2016, celebraram o 50º aniversário do êxito “Good Vibrations” – que é considerado uma das obras-primas da história do rock and roll – com a “50 Years of Good Vibrations Tour”. Adicionalmente, para comemorar este momento prolífico da vida da banda, Love editou as suas muito antecipadas memórias com o título “GOOD VIBRATIONS: My Life as a Beach Boy”, que entrou na lista de best sellers do New York Times imediatamente após o lançamento. 

Poucos artistas, se algum, podem igualar a presença, o espírito e a performance dos Beach Boys em concerto. Foram atração central no Live Aid, em múltiplos Farm Aids, no Statue of Liberty’s 100th Anniversary Salute, na Super Bowl e na Casa Branca. Num só dia – 4 de julho de 1985 – tocaram para quase 2 milhões de fãs nos concertos na Filadélfia e em Washington DC. 

Por vezes, o papel de Love enquanto líder da banda, ofusca a sua estatura enquanto um dos maiores escritores de rock. “Surfin”, o primeiro êxito dos Beach Boys, saiu da sua caneta. Com o seu primo, Brian Wilson, Love escreveu os clássicos “Fun, Fun, Fun”, “I Get Around”, “Help Me Rhonda”, “California Girls” e o nomeado para um Grammy “Good Vibrations”. Anos depois, mostrou ter ainda o talento para a escrita de canções ao coescrever o irresistível êxito “Kokomo”. 

Hoje, continua a oferecer aos seus fãs, ano após ano, projetos novos e criativos. Em 2020, estreou o seu mais recente single “This Too Shall Pass” com o convidado especial John Stamos. Editado no início da pandemia da COVID-19, escreveu o tema para lembrar a todos que melhores dias estão ainda para vir. Em 2019, Love lançou “12 Sides of Summer”, uma coleção de temas originais, covers e novas versões de êxitos, incluindo “Here Comes The Sun” de George Harrison, “Over and Over and Over Again” dos The Dave Clark Five, bem como versões atualizadas dos Beach Boys “Surfin”, “Surfin’ Safari” e “It’s Ok” com a colaboração de Hanson. Este tema marcou a segunda colaboração de Love com Hanson, depois do tema “Finally It’s Christmas” do álbum de Natal de Love em 2018, “Reason For the Season”, que conta também com as vozes dos seus filhos Ambha, Brian, Christian e Hayleigh Love. Em 2017, Love editou o álbum duplo de título “Unleash the Love” com 13 temas originais e 14 regravações de clássicos dos Beach Boys, aclamados pela crítica.